A ERA PRIMORDIAL

Na década dos anos sessenta, o cientista alemão Alfred Wegner chocava a comunidade científica apresentando a Teoria da Deriva Continental, ou simplesmente Teoria de Pangea. Ao ter estudado a fundo a geologia do planeta, o Dr. Wegner concluiu que a cerca de 220 milhões de anos a Terra era formada por um único super continente que ele chamou de Pangea e que com o passar do tempo as terras desse imenso continente se separaram dando origem aos continentes que hoje conhecemos. Na época sua teoria não se sustentou , pois para provar, Alfred Wegner esclareceu três resultados, mas não conseguiu determinar o que causaria o afastamento/deslocamento das placas tectônicas. Hoje sabe-se que isso acontece devido a intersecção do magma. De acordo com essa teoria, há cerca de 180 milhões de anos já haviam dois super continentes, Gondwana no oeste e Eurásia para o leste. Foi neste momento da formação de nosso planeta que de acordo com as criações de Gil Mendes, surgiram os seres primordiais, raças humanóides que precederiam o homem em milhões de anos no desenvolvimento das civilizações. Essas raças evoluíram até um estágio avançado de cultura antes de serem extintas. Em Gondwana surgiram os Krorhers, povo de pele vermelha como o próprio sangue que circula em suas veias e com olhos rodeados de negro para ofuscar até mesmo as cabeleiras também cor de ébano. Ao mesmo tempo, também no continente do oeste, apareceram os Goros, Korkawazis, os Sízimos e os Gragons entre outros. No continente do leste, Eurásia, à mesma época vieram os Starjos, os Baranos, Mérons e algumas variações dos Gragons. Mais ao leste, no extremo oriente do mundo até então conhecido, se desenvolveram os Satais, povo guerreiro de cidades cintilantes envolvidas em mistérios. Bem ao sul de ambos os continentes haviam muitas ilhas, uma delas ficou conhecida como Subibagash onde viveram os bagshis. 
  Assim era formado o mapa geopolítico da Era Primordial de Lorde Kramus. Uma época de grandes nações, onde numerosos exércitos se degladiavam por poder ou honra e poderosos guerreiros se aventuravam nas batalhas por glória ou conquista de riquezas. Uma era de grande magia, quando culturas calcadas no caos vivam sob a égide da mais ferrenha lei da natureza, o mais forte deve governar. Foi neste tempo que Lorde Kramus Dhemus andou sobre a terra. Nascido para ser o Khan do maior império de então, ele foi banido ainda recém nascido para morrer nas ilhas glaciais do sul. Seus pais foram assassinados, seu trono usurpado e seu povo feito escravo. Cresceu entre os selvagens Bagshis e agora está retornando do exílio para chegar à sua terra natal e reconquistar aquilo que é seu de direito, o trono e a liberdade de seu povo. 

Gil Mendes